Tempo de Recordar – nº 17

Por Sebastião Deister

ZÉ NABO, NOSSO SEGUNDO PREFEITO

José Antônio da Silva, o popular Zé Nabo, nasceu em  Governador Portela no dia 4 de abril de 1916, sendo filho de Joaquim Antônio e Maria Nunes da Silva, tornando-se órfão de pai com apenas 10 meses de idade. Em 1918, porém, sua mãe casou-se uma segunda vez, esposando o senhor João da Silva, um sapateiro muito conhecido e hábil que logo repassou para o garoto os segredos dessa profissão. Ao completar 14 anos, o rapazola passou a trabalhar na loja do Sr. Aurélio Barile, em Miguel Pereira. O comerciante, além disso, fazia parte da direção do Estiva FC, clube onde José Antônio aprendeu a dar seus primeiros passos no futebol.

Após 4 anos, seguiu ele para o Exército, servindo em Deodoro como voluntário e ganhando assim seus primeiros trocados. Ao voltar para Portela em 1937, precisou retomar os serviços de sapateiro para viver, mas logo retornou para o Rio de Janeiro em função de uma desavença amorosa, cidade em que passou os piores anos de sua vida, tendo de dormir na rua, vender balas pelas esquinas e até mesmo pedir dinheiro aos transeuntes para matar a fome. Felizmente, obteve um posto de condutor de bonde na Light, cargo que ocupou por três anos.

Após a morte do padrasto, voltou a Portela  e em 1942 casou-se com D. Lenice Barreiros, tendo com ela seis filhos (Renato, Vitorino, Analice, Maria José, Ronaldo e  Sérgio). No ano seguinte, enfim, conseguiu sua estabilidade social e financeira, empregando-se na Estrada de Ferro como torneiro mecânico. Participativo e solidário, lutou ao lado de seus colegas em busca de melhorias de condições de trabalho e salários, e assim começou a  desenvolver sua veia política, tanto que se elegeu com relativa facilidade para a primeira câmara de vereadores do recém-emancipado Município de Miguel Pereira.

Zé Nabo tomou posse como segundo prefeito miguelense em 31 de janeiro de 1959, tendo a escudá-lo o Vice-Prefeito Dr. Eugênio Albino dos Santos e a acompanhá-lo os vereadores Abelardo Teixeira de Carvalho, Regy Alves de Araújo Lima, Corintho de Almeida e Silva, Francisco Ramos Bernardes, Adalmar Corrêa da Silva, Darcy Jacob de Matos, Venícius Ferreira Gomes, Odilon Soares Vieira e Helena Cavalcânte do Nascimento (a esposa do cantor Luiz Gonzaga).

Dois meses antes do término do mandato, Zé Nabo afastou-se do cargo e concorreu a uma vaga de Deputado Estadual, obtendo-a com brilhantismo e tomando posse na Assembléia em 31 de janeiro de 1963. Contudo, movimentos políticos obscuros, até hoje não esclarecidos, fizeram-no ser cassado pela Revolução de 1964, o que o obrigou também a ser aposentar como ferroviário.

O bravo portelense jamais se desesperou ou deixou de batalhar pelo resgate de sua honra ferida, tanto que com a Lei da Anistia ele foi devidamente recuperado moral e politicamente. Sem embargo, conseguiu ele uma segunda gestão como Prefeito de Miguel Pereira, assumindo o Poder Executivo em 31 de janeiro de 1983 e dirigindo nosso Município com hombridade e muita decência até 1 de janeiro de 1989, tendo a seu lado o senhor Benício de Oliveira Mesquita como Vice-Prefeito e na Câmara os vereadores Sebastião de Sant’Anna Bastos, Sérgio Rodrigues, Sílvio Xavier, Izaac Monteiro, Rubem de Jesus, Manoel Gomes de Assumpção, Geúdece Lopes Ribeiro, José Sylvio Gomes, Gilberto de Araújo Lima, Mário Alves de Moraes Soares e Ildefonso César Seves Neves.

Anúncios

5 Respostas para “Tempo de Recordar – nº 17

  1. BOM SABER QUE A MINHA FAMÍLIA ESCREVEU UM POUCO DA HISTÓRIA DA NOSSA CIDADE….

    TAIGA NOVAES – NETA DE JOSÉ ANTÔNIO DA SILVA

  2. Denir Lauriano Ferreira

    Zé Nabo merecia ser homenageado com uma estátua na cidade, pelos progressos que conseguiu para a nossa região. A história conta que ele foi duramente perseguido pela ditadura (1964), taxado como comunista e durante anos ninguém tinha notícias dele. Felizmente ele conseguiu dar a volta por cima e nada ficou provado contra ele, Tanto que ele conseguiu se reeleger como prefeito da cidade.
    Denir L. Ferreira

  3. Luciana 1ºC Pedagogia ESEFIC

    ZÉ NABO, AMIGO DO MEU PAI JOÃO PASCOAL E DE MINHA MÃE NILCÉA PEREIRA. HOJE OS 3 IMPERAM O PLANO ESPIRITUAL COM MAESTRIA!!!
    LUCIANA – CACHOEIRA PAULISTA-SP

  4. Luís Fernando Carne

    Para mim foi uma honra ser sobrinho desse grande homem, que ajudou muitas pessoas dentro do Município de Miguel Pereira. Sempre foi um homem humilde.

  5. Passei minha infanci passando ferias e finaais de semana no lago de javary. Um de nossos programas certos era visitar a lojinha de artesanato em couro do ZÉ NABO, que fazia coisas maravilhosas em couro. Nao esqueço uma cadeira que ele fazia com um barril cortado e couro.Meu pai tinha uma fabrica no rio de janeiro e sempre encomendava a ele chaveiros de couro para dar de brinde aos clientes. Era muito boa pessoa e nos recebia muito bem. Achei estranho na sua biografia não mencionarem esse talento que ele possuia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s